viernes, 25 de abril de 2008

Revolución

Y florecieron los claveles
E floresceram os cravos

5 comentarios:

RAÚL dijo...

aquello sí fue un auténtico "flower power"!!

Puntos de vista y ... nada más dijo...

Onde é que aprendeste português??

Sara dijo...

Comecei a estudar faz cinco anos, mas só pude seguir o curso três meses. Procuro professor ou alguém com quem falar em Mérida, porque como vês, não controlo muito. E, enquanto, leio obras de Saramago em português.
Besos,
S.

Puntos de vista y ... nada más dijo...

Parabéns!!! Escreves muito bem. Já sabes muito e sem aulas. Isso quer dizer que os professores de português não prestamos para nada, pois as pessoas são capaces de aprender sem ajuda.

No ano passado tivos uma bolseira (becaria) no GIT de Mérida portuguesa que procurava intercambio de conversa espanhol português. O melhor seria a Escola de Línguas, mas o problema é que em Mérida só há aulas de tarde.

Se precisares de qualquer coisa de Portugal ou da língua portuguesa só tens de dizer.

Cumprimentos

Baraka dijo...

No cabe duda de que es mejor la revolución romántica que la de las guillotinas. Una flor vale lo mismo para sellar los labios de un arma que para decir te quiero. Todo es simbologia, pero nos gusta.